Direitistas mirins: cegos para o racismo

Se racismo não fosse um trauma social notável, nós poderíamos deixá-lo pra segundo plano.

Libertários e conservadores não costumam ser generosos com este tema; geralmente, porque rezaram contra a própria cartilha, e fizeram dela, um óculos que analisa o mundo em preto e branco.

Não entenderam que precisamos reponder a mazela racista, com uma boa porção de liberdade e verdade estrutural. E mais do que isso: com humanidade e cidadania.

Das estrelas

Sabe, eu estou aprendendo sobre cosmologia, eletromagnetismo, antigas civilizações, e essas coisas… Por isso olhar pras estrelas no último domingo me deixou muito comovido. Eu estou endendendo a grandiosidade delas. E eu sem quem as criou.

Bom dia!

MBL fará manifestação pelo Escola Sem Partido em todo Brasil. Em São Gonçalo, evento ocorrerá às 17h, com saída da prefeitura, até a câmara municipal

O polêmico Escola Sem Partido, projeto que pretensamente visa proteger os alunos do Ensino Fundamental e Médio de supostos atos de doutrinação, será o epicentro de manifestações amanhã (15/08/17) lideradas pelo Movimento Brasil Livre, um dos principais movimentos envolvidos no Impeachment da presidente Dilma Rousseff. A chamada Juventude da Nova Direita está se unindo (inclusive com apoio de Bolsonaro) nesse ato, porque segundo eles, a turma do PSOL, PCdoB e PT instrumentaliza professores adeptos e /ou filiados a estes partidos, a fazerem verdadeiras pregações em prol da ideologia de gênero, do comunismo, do relativismo filosófico e moral (que basicamente é a ideia de que não existe verdade e nem certo e errado) e outras coisas mais.

Há relatos de alunos que foram expulsos de sala porque foram discordaram educadamente do professor, ou que levaram 0 na prova simplesmente porque não concordaram com uma determinada ideia radical de quem estava ensinando.

O projeto do Dr. Miguel Nagib, se alinha com a indignação de centenas de pais que não imaginam seus filhos mascarados, depredando praças e nem lançando rojões enquanto se manifestam em algum ato divulgado por parte dos seus professores.

A predominância do discurso de extrema-esquerda nas escolas, tem uma razão, e os alunos não são obrigados a fazer coro de “Fora Temer” sem explicação. É que até hoje, a classe acadêmica brasileira, de forma virulenta, fermentou como um bolo, a partir da hegemonia da cartilha esquerdista que vingou no Brasil.

Há quem defenda o atual estado de doutrinação como processo crítico educativo, condenando o projeto, pois, segundo estes, a liberdade de expressão dos ensinadores, seria tolida.

Para todos nós, fica a pergunta: Será mesmo, que uma folha na parede da sala de aula, lembrando todos nós; alguns dos direitos e deveres dos professores e alunos, e informando a ambos o que já se encontra na Constituição, não serviria pra desenvolver a cidadania das futuras gerações?

O ato em São Gonçalo começa às 17h numa caminhada que vai do ponto de encontro, até a câmara municipal.

– Júlio Servo

Uma noite e um novo livro: Lobão e o Rock dos anos 80

Shopping Leblon. 

Uma noite memorável.

O Tony Bellotto passa ao meu lado no café da livraria Travessa. Faço menção de perguntar se ele estaria ali pra acompanhar o lançamento do livro do seu colega. Não pergunto. Seria uma provocação intencional. Eu imendaria dizendo da justiça que o BigWolf fizera ao Titãs honrando-os no livro. Tudo apesar da treta com o aspirante a guitarrista (sic). Rs

Foi mal. Não deu…

Chega o Lobão: Palestra bem-humorada, rica em detalhes e com os insights e dados quentíssimos bem característicos do João Luiz; neste caso, sobre o famoso Rock dos anos 80 no Brasil com direito a análises culturais precisas e certeiras, como de costume… 

Pedro Bial acompanha no canto aconchegante do auditório seleto. Faço as últimas duas perguntas porque o iconoclasta mais brilhante do Rock intervem ao editor da Leya em meu favor pois a hora já avança e os autógrafos ainda nem haviam começado. 

Ao meu lado o precioso Henrique,  Membro senior (hehe) do fechado círculo da nossa Alcatéia. Chega o João Eduardo Guinle Woerdenbag, alma afável e generosa: amigo mesmo.

Risos, alegria, seriedade, fé, guitarras, samba e carnaval d’alma. O Rock and Roll triunfa porque rocha é aço na seara das artes mais finas.
Dou uma tietada de tabela no Bial só pra dizer que o li ainda no Ensino Fundamental: um livro inteiro; e pra reivindicar, é claro, ao patrono do ZZZ a presença do Lobão no seu programa de entrevistas – este sim, potencialmente interessante. 

O “poeta dos famosos relâmpagos” diz que essa é a ideia. Vou gostando da trama.

Chega minha vez de ter assinado mais dois livros pelas mãos do agora – e já faz um tempo; e cada vez mais- escritor João Luiz Woerdenbag Filho, a quem, sem paranóia ou idolatria vã, considero um querido. Depois das minhas perguntas sobre diferenças entre o tropicalismo tupiniquim e a música negra americana e em que o Punk foi benéfico pro nosso herói, tento escolher as palavras com comedimento pra  não soar como o fã chato. Rs Não sei se deu certo, mas “o RIGOR e a MISERICÓRDIA” são de bom tom enquanto  chove lá fora.  E de fato chovia na Zona Sul. Big John é o cara da chuva.
Não bastasse todo clima fraterno e de gozo peculiar, esbarramos em mais conversas interessantes de pessoas interessantes na fila do autógrafo. Faltariam palavras agora pra descrever aqui o tanto de gente que tá fazendo coisa legal em diversas áreas.
Chega Alexandre Borges, um dos maiores influenciadores políticos nas redes sociais. Chega a simpática Ana Paula do vôlei (atuante no twitter). Chega o Guilherme Fiuza, dono de análises sóbrias em sua coluna na Época.
E a gente conversando na maior simplicidade com toda essa galera smart.

Festa na Floresta, amiguinhos! 

Liberdade, Verdade e Amor 

A Liberdade está para o libertário como a Verdade está para o conservador e o Amor está para o cristão. Não vejo contradição em ser as as três coisas.
Invertendo, poderíamos atribuir, pelas Escrituras, essas entidades de virtude, às três pessoas da trindade:
“Pois onde está o ESPÍRITO DE DEUS, aí há Liberdade”, como expressa o apóstolo Paulo.
Sobre a Verdade, o Filho declara: “Eu sou o Caminho, a VERDADE e a vida…”
E finalmente, o texto joanino expressa a natureza plena de Deus ao reconhecer em sua declaração que “Deus é AMOR”.